Revisão de vida

Você sabia que 90% da possibilidade de um dia ser bom e as coisas darem certo, depende de nós mesmos? Os outros 10% depende de fatores externos, alheios as nossas vontades.  Portanto, se os seus dias não estão sendo bons, veja onde e em quê você está falhando, e procure acertar, pois a probabilidade de o erro estar em você é muito grande. E se há grandes possibilidades de o erro está em você, não procure fora a causa, e não culpe os outros ou as situações por as coisas não terem dado certo. Faça por primeiro uma varredura interior, e busque detectar onde estão as falhas e identificar as causas. Às vezes nós não conseguimos fazer essa busca, sozinhos, e precisamos da ajuda de outros, seja de uma pessoa amiga, seja de um profissional, porém, o mais importe é fazer essa revisão, pois a partir dela conseguiremos detectar e reparar o que precisa ser reparado, e fazer com que aquela falha não atrapalhe mais a vida.

Por exemplo, quando um computador começa a falhar, se não entendemos de computação, precisamos chamar um técnico. Poder ser que a memória do aparelho esteja carregada, cansada, desgastada; pode ser um defeito mais sério, que pode causar perda de arquivos importantes; pode ser um vírus, etc. São muitas as causas que fazem um computador responder lentamente ou mesmo parar de responder. Se não vazemos uma varredura nele, não vamos encontrar a causa, e assim teremos dificuldade em usar a máquina, dificultando nosso trabalho. Assim acontece também conosco, pois as máquinas eletrônicas, como por exemplo, os computadores, foram inspirados em nós, seres humanos. Eles têm memória e outras coisas parecidas conosco, mas eles falham como também nós falhamos, por mais perfeita e avançada que seja a máquina. Não se atingiu ainda a perfeição tecnológica, e nós também não somos perfeitos, no sentido de não errarmos. Assim, uma revisão periódica faz bem para a vida humana como faz bem para as máquinas eletrônicas que usamos. Se você não fizer essa revisão periódica, corre o risco de perder qualidade de vida e de não produzir como deveria. Produzir alegria, produzir a paz, o bem e tantas outras coisas boas que podemos promover se estivermos bem conosco mesmo, se a nossa complexa “máquina” estiver funcionando bem.

Quem deve fazer isso? Nós mesmos! Se não cuidarmos de nós, e não investimos na nossa vida, talvez outros não farão isso por nós. Cada um precisa fazer a sua parte, cuidando de si para poder cuidar bem dos outros. É claro que uma ajudinha externa é sempre bem vinda, principalmente quando temos dificuldade de perceber onde estão as nossas falhas. Portanto, dê abertura para que as pessoas possam lhe corrigir, apontar seus defeitos, suas fraquezas. Pode ser que elas não procedam, mas se proceder você terá a chance de corrigi-las, melhora sua vida, e você será a primeira pessoa beneficiada por essa correção. Então, não perca tempo, faça uma revisão de vida hoje e busque melhorar.

Não vale à pena desperdiçar um minuto sequer da vida com problemas que poderíamos ter evitado, corrigidos e que não o fizemos por pura ignorância ou comodismo, ou por não termos nos preocupados em fazer essa revisão. Porém, se não deu para evitar certos acontecimentos que aborrecem, busque proceder de maneira a não piorar as coisas, pois pequenos procedimentos, se evitados, evitam grandes aborrecimentos. Por exemplo, há situações em que o silêncio é a melhor resposta, e outras que a melhor reação é não reagir.

Além disso, conserve sempre os bons princípios, porque princípios determinam meios e meios determinam fins. Lembre-se: determinam, mas não justificam. Não caia nessa de que os meios justificam os fins. Quem usa meios inadequados, sem escrúpulos, sem ética ou sem moral para atingir certos fins, mostra ser alguém sem princípios, e uma pessoa sem princípios não poderá ter um bom fim. Não é somente nas novelas que os vilões são punidos. A natureza é sábia, e Deus, que criou a natureza, é infinitamente sábio. Ele sabe se você cultiva bons princípios, e se usa bons meios para alcançar o que deseja.

Quem prejudica a outros para se sair bem, não pode se dar bem, por mais que suas atitudes fiquem ocultas, mesmo que a pessoa tenha uma aparente vantagem. Não creio que alguém possa ter paz sabendo que prejudicou a outros, sobretudo a inocentes. A paz só pode ser fruto da justiça. Sem justiça não há verdadeira paz. Quem prejudica a outros, intencionalmente, revela que tem algo de errado dentro de si e precisa urgentemente de uma revisão e correção.

Portanto, faça sempre uma boa revisão de vida; seja honesto na sua profissão; faça o bem ao seu próximo e não queira o mal das pessoas. Essas atitudes não têm preço, tem consequência, mesmo que você não lucre financeiramente com sua honestidade, com a bondade e com a integridade, o mundo ganha com isso, e não há nada mais gratificante do que contribuir com a melhora do mundo e da vida das pessoas. A sua ação pode não ter visibilidade, mas pode fazer a diferença. Quem passa pela vida sem nunca ter feito algo de bom para os outros, tem uma vida vazia e sem sentido. Pense em si para melhorar o seu ser e a sua condição, mas não se esqueça dos outros. Faça bem a sua parte e ficará mais fácil ajudar o próximo.

Faça um comentário